quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Profundo


(foto: Clarisse)



Quando a vi, não sabia
Que iria sentir uma sintonia.
Quando a ouvi, me emocionei…
Com alguém que já encontrei?

Não sei direito o que sinto…
Quando penso nesse alguém.
É uma tela que pinto
E me faz ir mais além…

Eu fico surpresa,
E me pergunto: «eu?!... Coitada de mim…»
Olho para a tela,
E vejo que pintei um jardim.

Logo de seguida, começo a pensar
Se foi realmente obra minha:
Tenho que me orgulhar
Apesar de não ser nadinha?

Ela assim não pensa, e me diz
Que tenho que me dedicar
Às coisas que me faz feliz
E a minha alma deixar brotar…
Quando fico sozinha
E começo a pensar nela,
Vejo que não estou sozinha
Estou com o apoio dela…

Tem, por mim, uma afinidade especial
Com que eu não consegui responder…
Respondeu o meu emocional
Com as lágrimas a escorrer…

O meu coração acelerou e apertou
Quando vi que me chamou
Num momento carinhoso
De alguém tão idoso…

Veio me falar
Com aquele jeito peculiar
Sempre p’ra me ajudar
As minhas quedas amparar…

Mas como hei-de me explicar?
O que por ela sinto, no coração?
Só sei, que me sabe tocar
E perder-me na emoção…





© Direitos de autor reservados.

2 comentários:

tem a palavra o povo disse...

Olá Clarisse...

gosto de almas secretas
se me deixam entro nelas
almas simples puras dilectas
se me chamam pinto-as belas

no vai e vem do poema
sinto complexa ilusão
será vida que ferida tema
magoar seu coração?

vi-te no Luso poemas o brilho
e quis ter-te no maresias
que emoção seguir teu trilho
descobrir mulher de doces poesias

sinto o fascínio do teu secretismo
estar aqui rodeado de tal beleza
tentando compreender o teu mutismo
se é medo desconfiança ou tristeza

quero dizer-te que te admiro
mulher que escreve versos maviosos
que me sinto bem aqui no teu retiro
onde poemas me rodeiam tão ciosos
***
um poema que te dedico à amizade
J.R.G.

Estou maravilhado com o perfume que aqui se respira, com a cristalina pureza das tuas plavras, a beleza da decoração e com o teu olhar oculto que me segue os passos em volta dos poemas.
Um beijo de amigo
joão raimundo

ClarisseS disse...

Olá João.
Sempre com comentários tão belos...

Muito obrigada, volte sempre ao meu cantinho, que trato com muito gosto.

Abraço em poético laço,
Clarisse