segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Lutas absurdas

[Foto: Clarisse Silva]

Lutas absurdas

Assisto diariamente
A lutas absurdas por poderes sem sentido
Em direcção a qualquer coisa sem nome
Onde reina alguém sem governo
Quem em busca do seu trono
É dono e quer assim permanecer …
Abandonando à partida as ideias
Ignorando à saída da epopeia
Com medo que lhe retirem a coroa oculta
Que exibe orgulhosamente no seu caco
A faz brilhar de cada vez que vocifera
Pujantemente na voz de senhor de tudo.

Assisto tristemente,
À correnteza das águas
Que sacode do capote
De cada vez que algo corre mal
E apresenta-se pomposamente
Quando corre de feição
Mesmo por esforço de outros.

Assisto diária e tristemente
A injustiças financeiras de quem governa
Amealhando o que seria da empreitada!
Ah… Dane-se tudo, dane-se todo o governo
Que não sabe governar, todo o dono a sacar!
Dane-se sem se danar, não posso mudar o mundo
Mas também não tenho que aceitar!

13 de Outubro de 2011

3 comentários:

Fê-blue bird disse...

«...não posso mudar o mundo
Mas também não tenho que aceitar!»

Minha amiga:
Comungo como sabe das suas preocupações, e partilho a parte final deste seu grito!
Dane-se o governo!!!

beijinhos

Clarisse Silva disse...

Olá Amiga Fê,

Há momentos de tudo, e realmente, por vezes dá vontade que tudo isto se dane.

:-)

Beijinhos,
Clarisse Silva

Maria Luzia Fronteira disse...

Olá Clarisse
Grade reflexão partilhaste...
Relaço este grande fim porque vale mesmo a pena face ao presente que se vive infelizmente:


"Ah… Dane-se tudo, dane-se todo o governo
Que não sabe governar, todo o dono a sacar!
Dane-se sem se danar, não posso mudar o mundo
Mas também não tenho que aceitar!"

bjos
manuela