segunda-feira, 15 de abril de 2013

O inferno dos poetas I



É querer o infinito
Mas não ter gabarito.
É sentir o mundo inteiro cá dentro
Num só momento.
É querer definir o indefinível,
Atingindo o inatingível
É chegar ao horizonte
Sentindo-se uma fonte
Inesgotável de sentir
Uma vida ainda por existir…


Clarisse Silva
2 de Março de 2010

© Direitos de autor reservados.

2 comentários:

Alexandra disse...

Por vezes... por vezes, pergunto-me porque razão textos ou poemas tão belos não recebem um único comentário!


Provavelmente já não há espaço ao sentir! :)


Parabéns pelo poema que escreveu, é lindo!

Clarisse Silva disse...

Olá Alexandra.

Agradeço as palavras. Imenso.

Clarisse Silva