quinta-feira, 9 de maio de 2013

Laços de Família, de Clarice Lispector




«Quem uma vez se deixou revestir do olhar que dimana da prosa de Clarice compreende como a escrita pode ser a vida, muito mais do que ela, nunca parte dela.» 
Lisboa, 26 de Novembro de 1989
Lídia Jorge, do prefácio

*

«A força telúrica dos textos vem da insubordinação estilística e da violência poética da escrita, sempre a escavar por baixo das aparências, subvertendo a pacatez de uma paz doméstica artificial e desenterrando o que as personagens não têm coragem ou capacidade de discernir.»
[José Mário Silva, Ler, Abril 2013]



Não apetece pegar agora noutro autor...


3 comentários:

Rogério Pereira disse...

A pilha de livros já vai alta, mas este talvez se junte. Ler Clarice é um desafio ao ensaio de escrita... para além do prazer de a ler

Clarisse Silva disse...

Olá Rogério Pereira,

É absolutamente fascinante.

Grata pela presença.

Fê Blue bird disse...

Não posso dispensar a sua leitura.
beijinho


Quando puder amiga Clarisse passa no meu blogue "Só te peço 5 minutos" tenho lá uma pequena surpresa para os amigos.