quarta-feira, 8 de setembro de 2010

A nova revolução I

  (foto: Clarisse) 


I


Proibido o despudor no poder
Enraizado e alimentado
Nas cabeças desumanizadas
Em objectos infrutíferos e efémeros.


Proibida a desfaçatez e a mascarada tez
Em obvia falsidade.


Proibida a crença nas imagens humanas
De mentes insanas
Carregadas de moral,
Neste universo perfeito de despeito.


Proibida a proliferação da peste
Que vomita adjectivos e ideais
De sonhos provocados e irreais.


Proibido a audição de gravações
Realizadas em directo
Directamente aos corações.

Proibidas televisões manobradas
Em manipulações internamente forjadas
Em diárias jornadas
Perfumadas de cravos
Transformadas em escravos
No fim da ditadura
E continuação da escravatura.


Que seja proibido
O uso da liberdade
Em abuso da idoneidade…!

Que seja proibido
Gravadores ambulantes
Fingindo-se de pessoas
Se achando importantes.


 
 
 
© Direitos de autor reservados.

6 comentários:

Fê-blue bird disse...

Minha querida amiga para quando esta revolução? Como ela é urgente!
Tive tantas saudades destas partilhas...tantas!
Acho que o nosso coração bate em uníssono pois acabei de postar um simples texto desalentado por tudo o que vemos, ouvimos e lemos.

Um beijinho grande e obrigada uma vez mais pela sua amizade e carinho.
Fernanda

Arnoldo Pimentel disse...

Lindo seu poema, vim visitar seu blog, e acabei por conhecer um lindo canto poético.Parabéns, se puder visite um dos meus blogs, ficarei feliz com sua visita,beijos

ventosnaprimavera.blogspot.com
haikainosventos.blogspot.com
palavrasnosventos.blogspot.com

Clarisse Silva disse...

Olá Fê, essa revolução pode e deve ser realizada todos os dias, um de cada vez, basta querermos...

Não tem o que agradecer.
Beijinhos também para si.
Clarisse Silva

Clarisse Silva disse...

Olá Arnoldo,

Agradecida pela sua visita.
Cumprimentos,
Clarisse Silva

Anónimo disse...

Gostei de vir ao teu espaço,
está lindo Clarisse.
A tua poesia revela a mulher
autêntica e sensível que és.
Bjs e parabéns pelo lançamento do
teu novo livro.
Vóny Ferreira

Clarisse Silva disse...

Olá Vony,

Agradeço-te as palavras e a visita.
Beijinhos,
Clarisse