quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Paraíso (desafio poético)

(foto: Clarisse)


Paraíso


A caminho…


Cravo as unhas na pele
Rasgo-me em pedaços,
Sentindo aqui o teu mel…


Sem noção de espaço
… que desapareceu,
Sou ilusório apogeu!


Limo as arestas, de frestas
Irrompo pela floresta
No teu encalço…


Galgo, supero percalços
Sentindo-te presente
Na minha mente…
Alimentada na necessidade
Da tua ausência
Nela em permanência.


… Paraíso…


É nos teus olhos mergulhar
O teu abraço me aconchegar
Após a eternidade que nos separou.


É o arrepio
É todo o corrupio
Que docemente me envolve
Em provocante regozijo.


É exausta…
Entregue a ti adormecer,
Envolvida no teu afago…
Com a lágrima a percorrer
A face de felicidade
Na voracidade do término,
Que não existiu
Ela se sobressaiu.


E se sobressai…
… No paraíso!



http://www.worldartfriends.com/modules/publisher/article.php?storyid=29842

© Direitos de autor reservados.

4 comentários:

Fê-blue bird disse...

"É exausta…
Entregue a ti adormecer,
Envolvida no teu afago…
Com a lágrima a percorrer
A face de felicidade
Na voracidade do término,
Que não existiu
Ela se sobressaiu."

Adorei este seu paraíso.
Amar é alcançá-lo, só quem ama verdadeiramente compreende a profundidade de cada palavra sua.
Uma foto linda e muito adequada ao poema.
Beijinhos e obrigada uma vez mais pelas suas palavras encorajadoras nos meus blogues.

Rogério Paulo Peixoto disse...

Querer na força da pena da poetisa, para orvalhar essa poesia (melodia) encantada e suavizar o apelo de uma alma que não chora, nos interludios da alma.


Muito bom!

Clarisse Silva disse...

Olá Fê,

Eu também lhe agradeço.
Beijinhos e obrigada!
Clarisse Silva

Clarisse Silva disse...

Olá Rogério,

Agradeço o comentário ao poema.

Sempre essa força na tua escrita.

Beijo,
Clarisse