terça-feira, 12 de outubro de 2010

Poema da Semana: "O que é o Amor?"



Num café, no centro da praça
um homem entra desalentado
os presentes ignoram o coitado
Olhos tristes em rosto barbeado

De cigarro Marlboro apagado,
nos lábios húmidos mordido
aproximou-se do balcão
e deu voz ao coração:
"
Sabeis vós o que é o Amor?
Tereis vós por mim Rancor?
Quantos de vós sentiram dor?
Quantos amaram com fervor?"

 De avental preto na cintura
Joana, a linda criatura
sorriu com o monólogo dele
e servindo-o, respondeu com finura:
"
Não sabeis, a Boa nova de agora?
O amor é o auge da estranha dor
De sofrer e não ser correspondida
de ser em teus devaneios perdida.

Nunca fui na divina palavra, amada
Nunca fui seduzida ou tocada
carrego cento e vinte quilos de gente
Não atiço paixão, ou um pretendente."

Dois goles de J6B pela garganta viril
O olhar incauto e desprevenido, dele
Na imensidão dela, perto do velho senil
que o criticava em silêncio, a ele:
"
Asseguro-vos que o Amor que defendo
não vê formas físicas, ou outro diferendo
A capacidade de apaixonar reside aqui
no coração, na essência do credo!

Amei e fui amado e por ela fui deixado
foi culpa do jardineiro, esse coitado
Mas cuidai, que foi Mea Culpa
por nunca haver trabalhado.

Cuidava eu, linda e sábia dama
que me bastava ser bom de cama
um marido para passar o serão
Cama, casa e roupa lavada, pois então!"

O velho que brincava com a placa
na boca já bastante gasta
ele, que se tinha de fina casta
não perdeu demora a sentenciar:

"
Jovens destes loucos tempos modernos
Julgam que tudo sabem, tudo conhecem
Deixaram a mulher trabalhar
fora da cozinha mandar!

No meu tempo piava fininho
se abusavam, levavam no focinho
Éramos fortes e mandões
não havia grandes serões

Mulher deve ao marido mimar
e a ele deve só agradar
porque essa modernidade de amar
só traz imoralidade e falsidade"

Joana incrédula com o que ouvira
zangada com o que o velho proferira
logo zarpou em defesa das Damas
Argumentando com toda a malícia:
"
No seu tempo, ó coitado velhinho
A escuridão da mente era a razão
tratavam as mulheres como gado.
Feios, porcos e maus e sem tesão

bater na mulher era o serão
de quem não tinha perdão
ao virem da dura labuta
tratavam a coitada como pu...

O velho agitou o braço enfurecido.
acalmado pelo jovem decidido
que de voz suave e melancólica
retomou á sua dor, insólita:
"
A minha mulher era a princesa
No meu Ser toda ela beleza
vivia só para a ver sorrir
castigo-me por a ver partir.

Se Amar é desejar o melhor
Se Amar é viver em dor
Então ela que parta
e o jardineiro...ao raio que o parta!"

Joana acenou negativamente a cabeça
pano ao ombro e rosto sereno
respondeu em tom ameno
olhando o jovem com clareza:
"
Se é como dizeis, não a deixeis fugir
lutai por ela, agora tendes de decidir
Encontrarás outra princesa assim?
ou irás errar, pobre delfim?

O jovem olhou prazenteiro
largou no balcão o dinheiro
e sorriu para ela, antes de partir
para a sua amada, garantir!

O que é o Amor?
Como apagar esta Dor?
como lutar contra rancor?
como aliviar o torpor?

O velho sai de fininho
Envergonhado pelo tinto
que lhe baralhou a ideia
não fosse ela, ir-lhe ao focinho!


AUTOR: Rogério Peixoto (Mefistus)

© Direitos de autor reservados.

10 comentários:

Fê-blue bird disse...

Amiga:
Presenteou-nos com um poema que me fez rir, fez-me bem ver tanta verdade velada e sentido de humor nesta poesia.
O verso final então, é hilariante.

Vou espreitar o blogue do autor e por si recomendado.

Beijinhos

Sonhadora disse...

Minha querida
um poema maravilhoso, bela escolha.

Beijinhos
Sonhadora

Rogerio Peixoto disse...

Uau e logo como poema da semana?
Lisongeado.
Obrigado Clarisse!

Dany Filipa disse...

Ler Mefistus é entrar num outro mundo...
é rir, é chorar, é pensar...é fantastico!!!
Ler Mefistus é perder mo nos nas palavras de um grande talento!!!
Seja teatro, seja prosa, seja poesia...
tudo é divinal!

Parabens á autora do blog por esta iniciativa de destacar sempre algo, mas parabens sobretudo pela excelente escolha :-)

Um beijo á autora e poeta deste blog que muito gosto e admiro
e um beijo ao autor destacado esta semana do qual eu sou fa!!!! :D

Vera, a Loira disse...

Gostei.

Clarisse Silva disse...

Olá Fê,

Trata-se de um poeta com muito talento que, estou certa, apreciará.
Obrigada pela sua presença.
Beijo,
Clarisse Silva

Clarisse Silva disse...

Olá Sonhadora,

Obrigada pelas suas palavras e pela sua apreciação.
Beijinhos,
Clarisse

Clarisse Silva disse...

Rogério,

É um destaque merecido, sabes que aprecio a forma como escreves, sobretudo nesta faceta de contador de histórias.
Beijo,
Clarisse

Clarisse Silva disse...

Olá Dany,

Sei que és uma grande fã do Mefistus, e a forma como te expressas quando falas dele, isso mesmo reflete... :-)

Obrigada pelas tuas palavras.
Beijo,
Clarisse

Clarisse Silva disse...

Olá Vera,

Agradeço-lhe a visita, esperando que venha a gostar de muitos mais.
Obrigada.
Saudações,
Clarisse