quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Conta-me sobre esse amor…


Conta-me sobre esse amor…


Conto-te
Sobre o sentimento ardente
A fluir no peito…
Conto-te
Sobre as minhas asas ocultas
Que me permitem vislumbrar
Realidades esquecidas
Outras desconhecidas…


Conto-te
Sobre o aconchego interior
Depois do pleno da paixão
Reflectido na lágrima
Que escorre pela face
Deixando-me ainda mais
Irradiante…


Conto-te
Sobre o preenchimento
Que me invade…
Sobre a solidão que partiu
E a chegada d’ alegria
A luz em cada dia…


Conto-te
Sobre a relatividade
De todas as coisas
Perante a companhia…
O olhar em sintonia
E o sorriso subtil
Que dele resulta…


Conto-te…
Conto-te…
Mas sinto muito mais.


Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial No Derivatives
© Direitos de autor reservados.

6 comentários:

Fê-blue bird disse...

"
Conto-te…
Conto-te…
Mas sinto muito mais."

Um poema verdadeiramente apaixonado, de entrega de ...muito mais!

Adoro poemas de amor, acho que o amor é que nos move e nos incentiva a continuar.

Beijinhos amiga Clarisse.

Anónimo disse...

Olá meu amor!

Sem dúvida este poema reflecte um pouco deste AMOR que existe entre nós. Como tu mesma citas no poema "Mas sinto muito mais.". Sentimos muito mais do que se pode escrever, sentimos tudo aquilo que só pode ser dito no nosso OLHAR...
QAHAS

BEIJO DOS NOSSOS
F.F

Colecionadora de Silêncios disse...

Clarisse, querida, que poema divino! Amei!

Beijos :)

Clarisse Silva disse...

Olá Fê,

Sem dúvida é o amor que nos move, seja em que aspecto for, só ele é eterno.

Beijos e obrigada.
Clarisse

Clarisse Silva disse...

Meu amor,

Em tempos conturbados como os que vivo, este sentimento por ti é um bálsamo ainda mais importante e reconfortante...

Beijos dos nossos...
TA, qtahaes

Clarisse Silva disse...

Olá Colecionadora de Silêncios,

Agradeço a visita o e gentil comentário.
Beijo,
Clarisse