quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Eu Sou Tu És


[À distância]

Sinto o cheiro da tua pele,
Sinto o teu afago no meu rosto
Sinto…

[À distância]

Na minha boca o teu gosto…
Oiço-te murmurar ao meu ouvido
Vejo deitar-te comigo,
À distancia… que não sinto.
Um abraço em instinto…!


[Perto,]

Te aperto,
Digo adeus à distância
Bebo nosso néctar em abundância.



P e r t o :
Me deserto
Sou ser aberto
Me perco
Me acho
Sou tua
Sou minha
Estou nua
Na minha
Na tua
Sou alma
Que flutua.


P e r t o :
Eu Sou!
Tu És!


Clarisse Silva
28Maio10 © Direitos de autor reservados.

6 comentários:

Anónimo disse...

O melhor de tudo é que a soma de EU SOU! TU ÉS!...É NÓS...

BJS BABY
F.F.

Arnoldo Pimentel disse...

Um poema belissímo.Parabéns.

Fê-blue bird disse...

Amiga Clarisse, quanta inspiração!
Será da distância, da saudade ?

Já tinha saudades dos seus belíssimos poemas!


beijinhos

Clarisse Silva disse...

LOML:
Conjuguei, conjugo e conjugarei estes verbos, escritos em versos, tal como as ondas deslizam pelo mar... Nunca tive coragem de mergulhar de cabeça, mas quando dei por mim já fazia golfinhos...
Beijos, muitos!
Tua Clarisse

Clarisse Silva disse...

Olá Arnoldo Pimentel,

Grata pela presença.

Saudações,
Clarisse Silva

Clarisse Silva disse...

Olá Fê,

É de tudo e mais alguma coisa...

Agradecida pelas palavras.
Beijinhos,
Clarisse Silva