segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Crescimentos

Foto: Clarisse Silva


Crescimentos


Assola-me um medo de desperdício
Sem vício

De oportunidades perdidas
Cem vidas
E quantas mais serão
Sem coração
Capaz de vencer a mente
Sem presente
E passados fustigados
Abandonados
E futuros avistados
Não concretizados.


Assola-me uma rotina
Sem retina
Em si mesma fechada
Acomodada
Ao conforto imaginário
É calvário
Para o ser interior
É superior
Mas posterior às obrigações
Perpetuações
De um crescimento universal
Mas…
Terá assim mal?
Rotina é vida
Mas vida é muito mais
Que rotina!






Clarisse Silva
1 de Novembro de 2012 © Direitos de autor reservados.

4 comentários:

Fê Blue bird disse...

Amiga Clarisse.
Aprecio imenso a maneira como "joga" com as palavras.
Um crescimento muito pessoal e sentido.

beijinho

vieira calado disse...

Penso ser a minha 1ª visita.
Achei o blog interessante e variado!
saudações poéticas!

Clarisse Silva disse...

Olá Fê,

Mais uma vez, grata pelas suas palavras.


Beijo,
Clarisse Silva

Clarisse Silva disse...

Olá Vieira Calado,

Não é a sua primeira visita, nem segunda, nem terceira... E que não seja a última.

Saudações poéticas.
Clarisse Silva