terça-feira, 21 de maio de 2013

Alheamentos




Vejo, com tristeza, seres humanos alheios aos acontecimentos dos que os rodeiam, colocando o seu individualismo em primeiro, avessos a qualquer atitude, assistindo de camarote à desgraça acontecer. Vejo, seres humanos entrando nas catedrais todas as semanas, doando com aparente fé no cesto de sempre; regressando de tomar o senhor com as mãozinhas em acto de oração e a cabeça inclinada para a audiência, mas que durante os restantes dias semanais agem como animais, totalmente desfasados da realidade da maioria humana, tão embutidos no seu mundo egoísta, onde a fartura nunca se farta, mas que não chega (nas suas cabeças – as mesmas da inclinação) para amenizar com uma migalha - depois do infortúnio ocorrer - aqueles que contam os trocos até receber! E assim vai o mundo: cada um por si e todos a assobiar para o lado!

Assim é; Assim não tinha que ser, ou tinha?!


p.s. desculpem, tive que fazer algumas alterações no texto.



1 comentário:

Fê Blue bird disse...

Um pensamento que mostra o seu descontentamento.
Partilho as suas preocupações minha amiga.

beijinho