segunda-feira, 7 de abril de 2014

Ao meu Querido Avô Brandão

     
(foto: retirada da internet; autor desc.)


Dobram os sinos, continuam a tocar a Alma... Em tua homenagem, é uma honra falar no grande homem que és. Antes disso, vem-me à memória uma expressão usada aquando da partida da Avó: "o armazém dos velhinhos". Neste país de políticas de austeridade, os "velhinhos" mais não são que despesa a cortar nas contas fraudulentas de um estado que parece querer aliar-se às trevas, ignorando cada vez mais estes seres humanos, que apenas querem dar e receber Amor! Neste armazém, os velhinhos são colocados e não são tratados como era suposto serem. Ignorando a Humanidade não vamos lá!
     Superior a tudo isto, sempre permaneceste na tua fé e nos teus princípios de Grande Homem: um bom marido, um bom trabalhador, um bom pai, um bom avô, um bom bisavô e um bom amigo! Vens do tempo em que a palavra de honra prevalecia, hoje em dia, no tempo em que os velhinhos são postos de parte, «ninguém»  sabe o que isso é. És e serás sempre um exemplo em todos os aspectos. Assim criaste os teus filhos, assim ajudaste a criar os teus netos e bisnetos, com elevação, nobreza e dignidade! Assim a tua família te tratou e cuidou, até ao último momento. Fizemos tudo para que fosses Feliz! O teu sorriso era o nosso sorriso... O nosso abraço será dado um dia... Até sempre Avô!

Tua Neta Clarisse
24 de Março 2014

3 comentários:

Skyline Spirit disse...

pretty nice blog, following :)

Fê blue bird disse...

Amiga Clarisse fiquei sem palavras perante a grandeza das suas.

beijinho comovido

Vieira Calado disse...

Saudações poéticas!